Como Lidar Com a Chegada do Irmãozinho

Por Eliane Pisani Leite

29/10/2008



Esta é mais uma duvida constante entre os pais. É comum uma avalanche de emoções contraditórias nessa fase.
Existem um infinidade de reações que a criança pode apresentar nessa fase, desde comportamentos regressivos, como fazer xixi na cama, falar como um bebê, voltar a pedir a chupeta, mamadeira, pedir colo, apresentar dificuldades para dormir, ficar muito apegada à mãe. Todos esses comportamentos são esperados, porém os pais devem ajudar a criança nesses momentos tão penosos emocionalmente. Sempre é bom mostrar-se solicito às emoções que a criança esta sentindo, ao invés de nega-las. Por exemplo: “Às vezes é difícil aceitar dividir a atenção da mamãe com outro irmãozinho”, essa fala e outras similares mostram que os pais entendem perfeitamente o que esta se passando com a criança, mesmo porque provavelmente um dos pais pode
Durante o período de gestação sempre é recomendável que a mãe explique para a criança o que esta acontecendo com o seu corpo, o porque os pais decidiram Ter mais um filho, e não esqueça de enfatizar a importância de se Ter um irmãozinho para compartilhar todas as coisas, até mesmo os momentos de birra com os pais.
Alguns cuidados como conversar com a criança, explicando que embora o novo bebê exija maiores cuidados, os pais irão continuar dando atenção aos dois. É conveniente também ler estórias infantis que relatam essa situação, hoje temos uma bibliografia vasta de temas familiares, e os pais devem sempre lançar mão do uso desse material a fim de ajudar a elaboração infantil dos fatos que acontecem no dia a dia de uma família.
No período da chegada do irmãozinho, deve-se evitar qualquer mudanças na vida da criança, como por exemplo: colocar na escolinha, mudar de quarto, tirar fraldas ou mamadeira, e até mesmo mudança de casa deveriam ser feitas seis meses antes ou depois, esse período geralmente é suficiente para facilitar o entrosamento da criança com o novo ambiente doméstico.
Solicitar a ajuda do maior para os cuidados com o bebê é imprescindível , mas deve-se é claro tomar todas as precauções, para que o maior não machuque o recém nascido, para tanto é necessário a presença constante do adulto.
Os pais devem sempre dividir atenção e carinho igualmente a todos.



Eliane Pisani Leite - Autora do livro: Pais EducAtivos

Pisicologia Acupuntura Psicopedagogia - pisani.leite@terra.com.br